Fabrício Oya, a nova aposta do Corinthians

Fabrício Oya, a nova aposta do Corinthians

Conheça o meio-campista que é uma das esperanças do Corinthians para o futuro

COMPARTILHAR

Nos últimos anos, o empresário Wagner Ribeiro passou a ser um nome muito comentado no meio do futebol. Apesar de não atuar ou estar diretamente ligado a algum clube, Wagner volta e meia é visto em notícias do esporte.

Desde o início da década passada, o empresário virou uma espécie de “celebridade”. E não é por menos. Cuidando (ou dia cuidou) da carreira de atletas do quilate de Kaká, Robinho, Lucas e, principalmente, Neymar, talvez seja o profissional mais bem-sucedido na sua área.

Talento, sorte ou apenas coincidência? O fato é que mais promessas estão surgindo no celeiro de Wagner Ribeiro. O próximo “astro” das categorias de base deve ser o corintiano Fabricio Oya.

O meio-campista de apenas 16 anos já tem salário que foge ao padrão da sua idade e ostenta o peso de ser uma das grandes joias do Corinthians. O próximo passo pode ser um contrato profissional com valores bem acima do padrão.

Um japonês no Timão

Nascido em Campinas, no dia 23 de julho de 1999, Fabricio Keiske Rodrigues Oya, ou simplesmente Fabricio Oya, é mais um dos talentos que migram do futebol de salão para o campo.

O mestiço é descendente de japoneses e quer ser o primeiro craque de olhos puxados do futebol brasileiro. Até 2012, a promessa jogava futsal pelo Pulo do Gato, equipe de Campinas.

Um dos muitos pêmio de Fabricio Oya pelo Timão (Foto: Reprodução/facebook)
Um dos muitos pêmio de Fabricio Oya pelo Timão (Foto: Reprodução/facebook)

Muito habilidoso e técnico, logo chamou a atenção do Corinthians, que o captou. Desde lá, o jovem encanta nas categorias de base corintiana.

Em 2014, foi o líder técnico do time que foi vice-campeão da Copa Votorantim, que chegou às oitavas-de-final do Campeonato Paulista da categoria e ficou com o vice-campeonato da Copa Laranjal.

Além disso, foi o protagonista na Milk Cup, realizada na Irlanda. Com sete gols em cinco jogos, foi o artilheiro e melhor jogador da competição.

Após o brilho na Europa, Fabricio passou a ser acompanhado de perto por Manchester United e Liverpool. O segundo, inclusive, tentou levá-lo para a Inglaterra.

2015 e a afirmação entre os mais velhos

A capacidade e talento de Fabricio são incontestáveis. Apesar disso, a fragilidade física já passa a ser alvo de atenção. Apesar da falta de força muscular, neste ano a joia passou a ser peça frequente no time sub-17, mesmo um ano mais novo.

Atuando com a talentosa geração /98, o habilidoso meio-campista divide responsabilidades com os ótimo Léo Jabá e Matheus Pereira. Um ano mais jovem, ele passou a atuar mais aberto no sub-17.

Nessa função, ajudou o Corinthians a fazer boa campanha no Mundial da categoria e levar o título sobre o Atlético Nacional-COL. Chegou a marcar um gol de cabeça, algo não muito comum para o jogador.

Ainda neste ano, ajudou o Corinthians a fazer boa campanha na Copa do Brasil Sub-17. Porém, a cereja do bolo aconteceu na semana passada.

Um título para consagrar

Na última quarta-feira (29), o Corinthians bateu o Flamengo por 2 a 1 na final da Taça BH Sub-17. A vitória teve o meio-campista como principal responsável.

Com dois belos gols – o primeiro de falta e o segundo com um toque de classe -, a promessa deu o importante título para a geração.

Após a conquista, o nome de Oya passou a ser muito comentado. Aos 16 anos, muito torcedores até começaram a pedir sua presença no time profissional.

No entanto, o Corinthians sabe que o momento é de ter calma. Ainda mais com as declarações de Wagner Ribeiro dizendo que o jogador “é uma mistura de Neymar com Kaká”. A empolgação muitas vezes joga contra um jogador tão jovem.

Potencial craque do Corinthians, Fabricio Oya tem também o peso de ser uma promessa de Wagner Ribeiro. Veremos se a responsabilidade não vai atrapalhar o jogador.

Além disso, a política de utilização de jogadores das categorias de base no Corinthians também precisa ser potencializada. Fabricio quer jogo.

Deixe seu comentário!

comentários