Filhos que não repetiram o sucesso dos pais no futebol

Filhos que não repetiram o sucesso dos pais no futebol

Eles tentaram seguir o caminho de seus pais. Mas não corresponderam às expectativas criadas.

COMPARTILHAR

Ser filho de alguém muito famoso – e bem-sucedido –, em qualquer área, não é fácil. De falta de identidade à falta de privacidade, a vida dessas pessoas pode ser fácil em termos financeiros, mas extremamente complicada psicologicamente.

Que dirá para os corajosos que se dispõem a seguir a mesma carreira de seus progenitores. Espera-se, institivamente, que os filhos herdem o talento pela genética. Ou que, pelo menos, aprendam a ter, já que contam com os melhores professores possíveis: seus pais.

Mas nem sempre a empreitada tem final feliz. No futebol, na maior parte dos casos, filhos de lendas do esporte estão fadados a pular das categorias de base de times grandes – e identificados com seus pais – a equipes periféricas, culminando em aposentadoria precoce.

Confira alguns destes casos na galeria abaixo:

Edinho
Edinho
Edinho é, provavelmente, o atleta da lista mais perseguido ao longo da carreira. O que não é difícil de entender. O ex-goleiro é filho de Pelé, maior nome da história do esporte. Surpreendeu até o pai ao escolher jogar no gol, e não na linha, onde, reza a lenda, tinha maior habilidade e potencial.

Filho de quem era, não lhe faltaram oportunidades no Santos na década de 1990. Chegou a ser titular em certo período, mas jamais foi unanimidade. Ainda passou por Portuguesa Santista, São Caetano e Ponte Preta, sem se firmar. Desistiu do esporte aos 29 anos. Em diversas situações, enfrentou sérios problemas com a Justiça, antes e depois da carreira, chegando a ser preso. (Foto: Divulgação)
« 1 de 9 »

Deixe seu comentário!

comentários